Private Practice começou bem!

15576.jpg

Uma semana antes da estréia oficial no canal ABC, o primeiro episódio de Private Practice já estava na internet. A prática ultimamente se tornou comum, em vista das diversas séries novas que estão na rede atualmente.

A exibição do piloto em maio deste ano foi visando uma renovação e ajudou a clarear as idéias da criadora, pois pôde verificar o que não deu certo e re-estrear com uma outra essência. As críticas foram impiedosas, mas o público fez sua parte e os episódios alcançaram 20 milhões de telespectadores cada, ganhando inicialmente 13 novos episódios.

Passado todo o negativismo em torno dela, Shonda Rhimes teve que repensar seus conceitos e decidir se queria fazer uma cópia adulta e apimentada da original ou uma versão mais leve, menos dramática e mais cômica.

Seu primeiro episódio é diferente, mas no bom sentido. Esqueçam o piloto exibido meses atrás e vamos nos concentrar apenas neste episódio. Shonda Rhimes é mestre em conciliar situações dramáticas (aqui nem tanto) com comédia e aqui funcionou direitinho, beneficiada pela leveza do episódio.

Em entrevista ao EW, Rhimes quis deixar bem claro que Private Practice seria o oposto da original. Mas o oposto em que sentido? Eu explico. Mais leve, tranquila, sem aquela loucura que é em Grey’s, com milhões de coisas acontecendo no mesmo tempo, e nem é sua intenção transformar a clínica num prostíbulo (ok, prostíbulo foi forte, mas vocês entenderam). Algo que você assista e percebe que não é uma Grey’s 2.0 e sim algo completamente novo.

Baseando apenas neste episódio eles conseguiam. Aqueles diálogos constrangedores não existem mais. A Addison está mais solta e sem bicos. Conversas com o elevador? Jamais. E a sede sexual dos personagem foi quase totalmente deixada de lado. Os quarenta e dois minutos do episódio passam num piscar de olhos.

Assim como vimos no episódio piloto e se repetiu aqui, o Cooper (Paul Adelstein) será o personagem com a maior liberdade cômica da série. Assumidamente um viciado em sexo, suas loucuras prometem render ótimos momentos, como nos minutos iniciais do episódio onde está amarrado aos quatro pés de sua cama e totalmente nu. Assim deixado certamente por outra maníaca da internet.

Violet (Amy Brenneman) já se destaca como a personagem favorita entre os fãs. Também pudera, pois Brenneman é só talento. Bem roteirizada ela tem total condições de deixar para trás o trio Katherine Heigl, Sandra Oh e Chandra Wilson. Esteve ótima no episódio.

Uma das coisas que me incomodou foi a Addison tendo que conquistar a aprovação dos colegas. Acontece que a Naomi contratou a amiga e não avisou os demais que ela viria. Lá eles possuem política nada convencional onde em qualquer admissão a ser realizada, todos os médicos precisam estar cientes e aprovarem tal atitude. Eles não a aceitaram até ela provar o quão boa é salvando mãe e filha em um caso raríssimo. Clichê dos grandes.

Private Practice não é aquela maravilha, mas está no caminho certo. Sua maior rival será ela mesma. Se os roteiros seguirem a linha desse episódio, não mais será lembrada como o spin-off de Grey’s Anatomy.

1×01 – In Which We Meet Addison, A Nice Girl From Somewhere Else – 8 (MVP: Kate Walsh, Amy Brenneman)

 

 

Anúncios

12 comentários sobre “Private Practice começou bem!

  1. Espero ver esse episódio ainda nessa semana, pois gosto muito de “Grey’s Anatomy” – e mesmo não confiando nessa série, gostei de saber que o primeiro episódio foi melhor do que aquele terrível piloto.

    PS: Mais um blog de qualidade no WordPress, gostei muito. Até mais!

  2. Olha, me surpreendi positivamente com esse episódio. Talvez a Shonda tenha exagerado no episódio que deu origem à série justamente para que as comparações fosse positivas. Todo mundo vai achar Private melhor do que foi mostrado anteriormente. Exceto o Ausiello, claro.

    Beijo!

  3. Paulo,
    Só espero que você pare com essa bobeira de ver só pra criticar.. :P :P

    Vinícius,
    Vai por mim, esse episódio é muito melhor que o exibido da primeira vez. Tenho certeza que vai adorar! Obrigado e passe sempre aqui.

    Gi,
    Somos dois então. Comecei a assistir já com uma opinião formada, mas me surpreendi. Foi muito melhor que o outro. O Ausiello tem problemas. Andei lendo cada barbaridade lá esses dias… Ele só é bom pra dar alguns furos mesmo!

  4. Muito bom o texto. Fiquei mais animada agora. Adoro Grey’s e não tinha gostado daquele “Other Side of this life”. Mas como o Felipe disse, Só acredito vendo.

  5. Fico feliz com a melhora da série desde a sua introdução (ainda em Grey’s Anatomy)!
    Ainda não vi pois falaram que o audio esta pessimo. Vou esperar o “oficial” semana q vem! xD
    Otimo texto!

    Abraço

  6. Já troquei o endereço de vocês, ok?

    Quanto a Private Practice, vou assistir ao primeiro só porque você e a Gi falaram que não é tão ruim. Eu já estava decidida a não ver porque o piloto tinha sido muito, muito ruim!

  7. Ju, obrigado!

    E dê uma segunda chance sim. Te garanto que o episódio é bem superior. E se eu e a Gi concordamos, já é alguma coisa… =P =P

  8. Eu também havia gostado da Amy Brenneman, mas será que ela vai ser melhor que Sandra Oh?

    Private Practice pode até ficar bom, mas pra mim ainda vai ser sempre o “spin off de Grey’s Anatomy”…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s