Considerações sobre Gossip Girl

gossipgirl.jpg

Para meu primeiro post como membro do Séries Maníacos resolvi escrever sobre uma das séries mais comentadas (e divisora de opiniões) dessa nova safra, Gossip Girl. Já adiantando que minha análise sobre a série da vida dos riquinhos mimados se estende até o episódio 01×08, contendo spoilers para quem acompanha a série pela Warner.

Spoilers Abaixo:

Antes de mais nada, queria deixar claro que ainda não li nenhum dos livros, portanto, não julgarei a fidelidade, e sim a série em si.

Passada a primeira impressão de um The OC em Manhattan, GG demonstrou que, mesmo com o dedo do Schwartz na podução, consegue caminhar tranquilamente com suas próprias pernas. Entretanto, assim como a série californiana (e como qualquer outro drama teen), temos a presença constante de altos e baixos, passando bruscamente da mais bem armada sequencia de bate-boca ao mais infantil dos diálogos.

A lista dos pontos negativos é grande. Para começar, existe o amontoado gigantesco de clichês desgraçados. Há desde o rockstar fracassado ao pai inescrupuloso que quer comandar a vida do filho. Esse, por sinal, responde pelo pior núcleo da série. Parece que colocaram a Bree de Desperate Housewives para ser mãe do Zac Efron de High School Musical.

Por falar em personagens que prejudicam a série, temos o irmão da Serena que deve ter um parente muito influente na produção do show, tanto é que deram um sumiço no garoto nesses últimos episódios, e diga-se de passagem, ninguém sentiu falta. E ah, claro, Serena Van der Woodsen, cuja atriz disputa deseperadamente com a Meredith Grey pelo título de protagonista mais sem graça da TV.

Outra coisa irritante é o fato dos roteiristas não definirem a personalidade de alguns personagens. A Jenny, por exemplo. Como pode ela terminar no episódio 01×05 como a diva vingativa e nos episódios seguintes choramingar por um convite? Ah pessoal, vocês podem fazer melhor.

Por outro lado, temos os elementos que fazem de GG a série mais cool do ano. A trilha sonora combina perfeitamente com o agitado clima nova iorquino. A narração da eterna Veronica Mars consegue até fazer cenas aparentemente monótonas pegarem fogo. As combinações inusitadas, como o affair iniciado entre Blair e Chuck no 01×07, e o possível interesse entre Nate e Jenny no episódio seguinte. São nesses momentos em que a série surpreende e ganha novo fôlego. E é claro, Blair Waldorf. O que a Serena tem de insossa a Bair tem de bitch. Ela é uma dama que sabe fazer tudo o que for preciso para conseguir o que quer. Seu personagem é a alma da série.

Ainda é muito cedo para avaliar a importância de Gossip Girl para a história das séries adolescentes, mas o caminho sendo trilhado parece o correto, lembrando-me outra série com as mesmas características, Heroes. É comentada e comercial o bastante para atrair a atenção do público e ao mesmo tempo, elaborada o suficiente para manter o interesse de outros tipos de telespectadores. Gossip Girl é pop até a medula, e, enquanto possuir essa qualidade, fará com que todos nós sejamos um pouquinho mais fofoqueiros.

15 comentários sobre “Considerações sobre Gossip Girl

  1. Q isso!!
    Excelente post, amigão.
    Adorei a comparação que tem a Bree como a mãe do Zac Efron! hahahahaha

    Colocou os pros e os contras mas deixou todo mundo com vontade de ver (eu ja vejo! hehe)

    Abraço

  2. Gostei muito do texto, só não gostei da comparação com Heroes. Heroes acabou se tornando muito pretensiosa. Nova Lost? Fala sério! Não chega nem aos pés! Já GG ainda não tem capacidade pra bater de frente com The O.C., mas tá no caminho certo. Só espero que não aconteça o emsmo que aconteceu com Heroes, e a segunda temporada seja uma decepção completa.

  3. Uma das melhores análises sobre Gossip Girl que já tive o prazer de ler até hoje.

    PS: Esse blog continua cada vez melhor. É o único que entro várias vezes ao dia.

    Beijos.

  4. Gosto da série, mas como foi dito na crítica, ela tem muitos altos e baixos, nunca mantém a regularidade. O irmão da Serena não tem função alguma mesmo, sem falar que o ator é péssimo. E essa mudança na atitude de alguns personagens (como a Jenny) é inexplicável, mas ocorre a todo tempo. Das personagens, a única que realmente gosto é a Blair. O nono episódio é ótimo, talvez o melhor da série.

  5. Realmente, uma série cheia de altos e baixos, mas que vicia. Os pontos fracos são mesmo Nate e aquela família dele, sem falar que eu também sou do clube dos que não gostam da Serena. Mas depois do episódio oito, a série parece ter engranado. Até agora, foram dois episódios excelentes.

  6. Oi pessoal…
    gostaria de saber se alguem sabe o nome da ultima musica que canta no ultimo episodio de Gossip Girl??
    quando Serena pede Blair pra não ir embora…
    obrigada!!!!!

  7. Karine, não achei exatamente essa musica, mas essas são as musicas que tocaram nesse episodio:

    Nadia Oh, “Got Ur Number”
    Falling Up, “The Dark Side Of Indoor Track Meets“
    Machine Translations, “You’ll Change”
    Dashboard Confessional, “Where There’s Gold“
    Dan Cray Trio, “Goodbye”
    Figurines, “The Air We Breathe“
    Nicole Scherzinger, “Happily Never After“

  8. gostaria de saber o nome da musica e o pai do Dan toca no episodeo final ou e no penultimo … n lembro ao certo… antes de ele ser chamado pra turne…

  9. Tudo o que eu penso da série você escreveu! É uma série que chega a ser infantil nas maioria dos episodios. Também não me agrada o núcleo do Dan, é terrível os diálogos entre ele e sua mãe (que aliás onde foi que acharam aquela coisa, feia e péssima atriz). Reparei também que todas as mães na série são loiras, uma disputando com a outra de quem é a pior atriz. A que ainda se salva é a Lily. Serena é um porre, tmabém uma atriz infantil e um personagem daqueles que não convensem nem emocionam ninguém. Blair, Jenny e Chuck salvam a série da mesmice e prendem o público na TV. Dan me parece mais um Seth Cohen sem graça e sem estilo algum, queria saber quem é que rir com alguma daquelas suas piadinhas mal colocadas que ele faz. No resumo a série é apenas boa, pois não se pode jogar na lama uma série produzida po Josh.

  10. Nossa muita engraçado..
    A série tem muitos altos e baixos..
    Logico né!
    Porque se a serie não tivesse altos e baixos não seria uma serie.
    Certo?
    Ia ser muito legal as seria que tem 3 temporadas contando a mesma coisa!
    Seria incrivel!
    Voce seria um bom roterista (y)

  11. “é claro, Blair Waldorf. O que a Serena tem de insossa a Bair tem de bitch. Ela é uma dama que sabe fazer tudo o que for preciso para conseguir o que quer. Seu personagem é a alma da série.”
    me enchi de orgulho :D

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s