Nip/Tuck – 5×11: Kyle Ainge

assassina-de-pelucia.jpg

Até hoje muitos consideram o Carver o assassino mais memorável de Nip/Tuck, mas depois de ver a “assassina de pelúcia” em ação, fui obrigado a tirar meu chapéu para uma das mortes mais angustiantes que eu já vi na televisão.

Spoilers Abaixo:

A história do paciente da semana, Kyle, foi bem interessante. Para quem achou forçado ou impossível a historia da mulher que comeu um pedaço do braço do marido para sobreviver, vale lembrar do acidente de avião que ocorreu nos anos 70 na cordilheira dos Andes, onde algumas pessoas só sobreviveram depois de comerem algumas partes dos mortos. “Você não tem idéia do que é capaz de fazer para sobreviver”. Mesmo em uma situação bizarra como essa só Nip/Tuck para deixar tudo com um ar romântico.

Pobre Wilber, quase nunca aparece e quando aparece tem uma professora maluca que gosta de dar dentadas nas crianças e jogar a culpa nele. Nem me lembro da última vez que ouvi Wilber falar, mas pelo menos nesse episódio ele lavou a alma e apareceu bastante.

Essa semana teve ótimas cenas de humor negro. Primeiro foi Christian imaginando como seria se ele contasse sobre a morte de Gina para Wilber com toda a franqueza to mundo. Não sei se tenho uma imagem deturpada de Christian, mas nem cheguei a imaginar que aquela cena era um sonho. Eu realmente não estranharia se ele falasse daquele jeito sobre a morte de Gina. “A mamãe é uma vadia?”. Tive que voltar essa imagem algumas vezes para ter certeza se era isso mesmo que Wilber tinha falado. E o enterro de Gina? Como pode uma cena de enterro ser tão engraçada? Todas aquelas pessoas do grupo de viciados em sexo anônimo falando das “qualidades” de Gina. “Ela fez o melhor boquet# da minha vida”. Como eu dei risada nessa cena.

Mas o grande destaque do episódio foi Colleen, a nova agente de Sean. Eu bem que imaginei que ela estava escondendo alguma coisa quando ela fingiu que aquela casona era dela no episódio passado. Ela não passa de uma doida que é fanática por Sean e ursinhos de pelúcias. Quando ela amarrou Bob no apartamento dela e ficou evidente que ela ia matar ele, toda aquela cena de uma maquina gigante que eu não entendia direito o que era, não sabia logo de cara se a maquina estava sugando ou empurrando alguma coisa goela abaixo dele…Foi tudo tão inicialmente confuso e angustiante que acabou rendendo uma morte de tirar o chapéu como eu disse no começo do texto. Nasce a “Assassina de Pelúcia”.

Outros bons pontos foram às cirurgias e a ótima trilha sonora do episódio.

Apenas mais três episódios inéditos restam e fico me perguntando se teremos a conclusão da misteriosa doença de Julia e por onde anda Kimber

3 comentários sobre “Nip/Tuck – 5×11: Kyle Ainge

  1. Engraçado, esquisito e com tendências psicopatas.
    Ótimo episódio.

    “Como pode uma cena de enterro ser tão engraçada?”
    Não sei, só sei que voltei várias vezes pra morrer de rir. Méritos pros atores…

    “Apenas mais três episódios inéditos restam e fico me perguntando se teremos a conclusão da misteriosa doença de Julia e por onde anda Kimber.”
    Nem me fale nisso…

  2. Tbm gostei muiro da cena do velório da Gina e principalmente da Collen piscopata…

    O episódio foi muito bom, so bobeou na professora morde morde, mas ela serviu pra ver se o Christian começa a ‘cuidar’ mais do filho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s