Sexo, Livros e Rock’n’Roll

greekgh62.jpg

A estréia de Greek na semana passada no Universal Channel não poderia ter sido em melhor hora. Enquanto a Warner e a Sony lutam uma dura batalha contra as reprises, a FOX, bom, esse canal ainda existe? e a fall season AXN vai indo de vento em poupa, Greek parece que veio para buscar seu lugar ao sol e pode substituir muito bem a escassez de episódios inéditos em sua televisão.

Mas primeiramente vamos deixar bem claro que o drama teen é pura, pura diversão. É mais um daqueles equivalentes onde nada se cria, tudo se copia. Quem procura em Greek uma fonte de qualidade sairá muito decepcionado. Querendo ou não o universo das séries teens se dividem em duas épocas distintas: o que se criou antes e depois de The OC.

Bervely Hills 90120, ou Barrados no Baile, revolucionou o modo de fazer televisão para os jovens nos anos 90, tanto que o canal americano CW está preparando uma série derivada da atração. Mais tarde veio a saudosa Dawnson’s Creek para também deixar sua, importante, marca no cenário adolescente. Duas séries de importante caráter que seriam o modelo do gênero nos próximos anos.

Em 2002 Everwwod chegou meio que timidamente e também conquistou, mesmo que bem pequeno, seu lugar ao sol. A série era um drama teen mais maduro, irreverente e sempre buscava discutir temas familiares, pois, afinal, Everwood era também um ótimo drama familiar.

Porém, o que ninguém imaginava é que em 2003 um jovem sonhador chamado Josh Schwartz criaria a série que mudaria gerações. Apenas três meses após o final de Dawnson’s Creek entrava no ar no canal FOX uma série que arrastaria multidões. Não deu nem tempo do público sentir falta de Dawnson e cia. Alguns meses após sua estréia, The O.C estourou e o drama teen se transformou no mais importante dos anos 2000, incontestavelmente.

One Tree Hill, que também estreou em 2003, nunca conseguiu sair da sombra dos garotos de Orangy County e, por mais que em alguns momentos tivesse mais qualidade, sempre ficou em segundo plano. Um dos grandes méritos de One Tree Hill foi se sobreviver após a chuva de, fracassadas, séries teens que atingiu a programação após o sucesso estrondoso de The OC. Pouca coisa sobreviveu. E Veronica Mars resistiu bravamente por três anos.

Um ano e dois meses após a estréia do hit da FOX, a UPN (que depois virou CW) estreava uma obra-prima do também garoto Rob Thomas. Veronica Mars foi uma série singular, referencial e inteligente. Eram os 42 minutos de maior qualidade que a CW poderia nos proporcionar na época do encerramento do programa.

Em 2006 Friday Night Lights faz sua estréia brilhantemente na televisão e Peter Berg muda mais um vez o jeito de fazer um bom drama teen. Friday Night Lights é incrível porque seus roteiros transbordam realidade, nada é fútil é televisão de qualidade. E todos reconhecem isso. O ano de 2007 chega e com ele trás Gossip Girl, uma outra cria de Josh Schwartz. Ao contrário de sua outra série, Gossip Girl não será nada mais que um ótimo entretenimento. Por trás de todo aquele glamour pop que enfeita a série, há um oásis de clichês que muitas vezes passam despercebidos por nós pela esperteza de Schwartz.

E o que isso tudo tem a ver com Greek? Absolutamente tudo.

O maior desafio de trazer a vida uma série teen nos dias de hoje é justamente a saturação de um cenário onde já se fez de tudo – agora com o realismo da britânica Skins, comparando-se com dramas teens americanos, não há muito inovar. É sempre o mesmo do mesmo.

Porém, o pano de fundo de Greek é uma importante personagem na série – a faculdade. Por mais banais que sejam os roteiros é divertido ver como as coisas funcionam nas famosas fraternidades, um ícone presente à cultura jovem americana. A série me ganhou justamente ao retratar esse mundinho intensamente, pois o restante do episódio piloto foi apenas uma mistura de vários elementos de várias séries. Desde o excluído irmão tentando fazer o que é certo com a irmã em busca de respeito até referências manjadas a lá The OC.

Vale a pena assistir Greek? Vale! Repito: ela não é nada excepcional, mas vamos dar tempo ao tempo. É um ótimo passatempo num marasmo de reprises da TV paga brasileira.

Anúncios

13 comentários sobre “Sexo, Livros e Rock’n’Roll

  1. Hmmmm… Na hora de analisar a indicacao de uma pessoa, é sempre bom verificar primeiro do que essa pessoa gosta. Parece obvio e basico dito assim, mas as vezes a gente se esquece desse detalhe básico. Exemplo: se voce detesta jazz e gosta de pop rock, as opinioes sobre o que é “boa musica” de uma pessoa amante de jazz (ou um adorador de metal rock, ou ainda um fã de MPB), tem que ser ouvidas com duplos (talvez triplos) filtros. E vice-versa, claro.

    Como o Eric é uma pessoa que gosta de reality shows (como American Idols, aquele de corridas, acho que aquele outro de modelos e sei-lá mais quais), gosta de Uggly Betty, 30 Rock e It’s Always Sunny In Philadelphia, gosta de seriados teen, gosta de seriados (realmente) dramáticos… agora ficou dificil saber se Greek vale mesmo a pena (ao menos para quem nao gosta de nada disso que está aí na lista)…

    Vamos ver, é comedia. Mas será que agrada quem prefere, em termos de comedia, assistir a Seinfeld (que nao tem nada a ver com It’s Always Sunny In Philadelphia, como chegaram a dizer), The Big Bang Theory, Psych, Pushing Daisies, Boston Legal, Two And a Half Men, Monk, Aliens In America (nos primeiros episodios, onde a graça eram as piadas contra o muçulmano, depois a serie ficou piegas demais), Back To You, Samantha Who?, Desperate Housewives, e tantas outras comedias leves e despretenciosas?

    Hmmmmmm…

  2. HUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUA

    “Como o Eric é uma pessoa que gosta de reality shows (como American Idols, aquele de corridas, acho que aquele outro de modelos e sei-lá mais quais), gosta de Ugly Betty, 30 Rock e It’s Always Sunny In Philadelphia, gosta de seriados teen, gosta de seriados (realmente) dramáticos… agora ficou dificil saber se Greek vale mesmo a pena (ao menos para quem nao gosta de nada disso que está aí na lista)…”

    Acho que faço parte desse grupo hehe. Vou tentar ver na reprise…

  3. Bom texto Eric, mas sou forçada a discordar dessa frase: “Querendo ou não o universo das séries teens se dividem em duas épocas distintas: o que se criou antes e depois de The OC.” Eu reconheço que The OC foi um bom seriado, mas o mérito dela está no sucesso de Barrados no Baile e Dawnson’s Creek, porque foram estas que quebraram tabus e mostraram o que nenhum outro programa mostrava, sendo assim The OC não pode ser o divisor de águas para as séries teens. Na minha opinião :)
    Quanto a Greek, eu vou aceitar essa dica sua, até porque minhas séries favoritas ainda não voltaram e não faz mal conferir se Greek vale a pena.

  4. Olha, eu sou bem chato pra comedias. Curto um humor mais adulto tipo Entourage e Californication, adoro as clássicas como friends e seinfeld e sou entusiasta das contemporâneas tipo Mother e Big Bang. Assisti Greek ano passado com a exibição americana…não é uma série que vai entrar pro meu top 15 tão cedo, mas como o Eric falou o roteiro eh divertido, ver um típico nerd tentando se dar bem na badalada vida de fraternidade até lembra um desses filmes American Pie que foram direto pra dvd, mas realmente não deixa der ser um ótimo passatempo. Hj começa a segunda temporada nos eua e eu vou ver.

  5. bem, conforme eu já disse(num sei se foi aqui ou no Teleseries) eu não sou muito fã de séries teens… já tentei, mas nunca consegui assistir um episódio inteiro de The OC, idem pra Everwood; nunca assisti One Tree Hill, só gostei da primeira temporada de Dawnson’s Creek e nunca assisti ao episódio final dessa serie, e só assistia Barrados no Baile quando passava na globo(acho que tiha uns 8 anos naquela época, hehehehe)pq minha familia assistia a série… mas tenho que admitir que esse meu preconceito está diminuindo, graças as séries Friday Night Lights e Veronica Mars…

    quanto a essa serie Greek, eu fiquei um pouco curioso pra assisti-la, principalmente depois do comentario do Michel, que disse “um típico nerd tentando se dar bem na badalada vida de fraternidade até lembra um desses filmes American Pie que foram direto pra dvd”, hehehehe….
    acho que vou assistir o piloto dessa série e ver o que que eu acho…

  6. auhuhauha melhor comentário foi o do Eric!!!
    eu devia começar a fazer igual as vezes viu!!!
    =D
    mas não me controlo hehehe

    quanto aos comentários sobre The O.C eu vou me abster pq eu abominava a série tanto ou mais do que abomino Gossip Girl; mas tenho q dar o braço a torcer que OC tinha lá os seus fãs ferrenhos e uma legião de outros q fizeram a série Hype mas q também pularam fora no meio do caminho…

  7. AMEI o Pilot.
    Assisti em pleno sabado a noite qqq

    O personagem principal é muito cativante, eu sinto como se conhecesse ele a anos. É estranho. Continuarei a assistir. :}

  8. Achei meio ridiculo os elogios demasiados a The O.C.
    Amava a série, sempre acompanhei The O.C., One Tree Hill e Veronica Mars. E posso dizer com total certeza e lucidez: The O.C. foi a mais fraca das 3. Assisti a primeira temporada de Dawnson’s Creek mas foi extremamente tediante e sem sal. Pode até ter inovado, porém não foi lá estas coisas.
    Acho que One Tree Hill (tirando sua fraca 2ª temporada) é o melhor drama teen dos primeiros 10 anos do século 21.

    E vamos lá, GREEK!

  9. Minha série teen favorita foi POPULAR. Por vezes, uma comédia consegue se aproximar mais da verdade e da realidade que um drama superficial como a maioria das séries teens. Começando pelo fato da série ter um garota gorda no elenco. Td série teen só tem garotas magras, no maximo uma gordinha faz uma particpação num episodio que discute aneroxia.

    POPULAR era uma especie de analise(ou melhor – sátira)do mundo teen idealizado nas series e nos filmes.

    FNL, apesar de curtir, a série é realista mas peca por seus garotos serem astros do futebol e até Dawnson’s tbm tendo um pequeno Speilberg como protagonista. Mas, essas duas são os mais legitimos dramas teens que vi.

  10. Não tenho o minimo interesse em ver Greek, mas já que o assunto virou dramas teen =]
    Concordo sobre a inovação trouxe a um gênero de série tão desgastado, e mesmo sendo ultra-fã, admito que no geral, a série em si não era excepcional, mas merecer ser lembrada e adorada.
    Em relação aos outros, nunca vi nenhum episodio de OTH e não consigo denominar VM como uma série teen, talvez pelo fato da qualidade absurda e diferença na abordagem.
    Sinta falta mesmo de Popular e Roswell, tinha um climinha tão gostoso de se ver.
    Mas em relação a faculdade, acho que a primeira que vem a mente é Felicity, né?

  11. acho everywood muito dramático e entediante, nao sou muito fã de the oc. mas one tree hill e greek são uns dos melhores seriados, com certeza! vi toda primeira temporada de greek e é que nem falaram, muito estilo american pie. pra quem gosta de ver festas de faculdade vale muiiito a pena!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s