4 Semanas, 3 Séries – The West Wing

westwing-cast-2001-2002s.jpg

Finalmente estou de volta. Quatro semanas é tempo demais para um viciado nato em Internet ser privado de seu vício (sim! Segundo um teste do G1, da Globo.com, eu sou viciado em Internet! And do I care?). E olhando para trás vejo que esses problemas, com Internet, já faz parte da minha vida. Em novembro passado fiquei 10 dias no ‘escuro’após uma queda de energia lazarenta ter queimado meu modem. Três meses depois foi a vez do computador. Problema temporariamente resolvido (já que não tenho certeza de nada), vamos ao que interessa: o que eu assisti nestas quatro semanas de exílio?

A primeira delas é a minha queridinha The West Wing. Ela é a única série que faço questão de comprar os DVDs por ser uma obra-prima da televisão mundial. Após uma segunda temporada brilhante (repito BRILHANTE), sendo que a season finale, Two Catedrals, é o melhor episódio dentre todas as séries que eu já vi, não tinha como não esperar uma excelente terceira temporada. E ela não veio. Apesar de ter sido uma temporada bem mais calma (e menos incrível) que a anterior, foi um ano de muitos momentos marcantes.

Primeiramente tivemos uma baita de uma aula, aquelas que você não aprende nem na faculdade, sobre terrorismo. Isaac and Ishmael, episódio não oficial da temporada, foi escrito às pressas após os ataques terroristas de 11 de setembro e ao melhor estilo Sorkiano de ser, o resultado foi excepcional. Série boa é aquela que você assiste e ainda serve como aprendizado. E os 42 minutos de The West Wing são puro aprendizado.

Em pelo menos metade da temporada vemos a série lidar com a decisão – e conseqüências, do presidente revelar a nação seu real estado de saúde. Como o eleitorado reagiria ao saber que seu commander in chief omitiu que possuía Esclerose Múltipla? Traído? Indignado? Além opinião pública e seus habituais conflitos internos, ele ainda tem que enfrentar uma sindicância do Senado doida para derrubá-lo. Foram nove episódios de muito caráter em todos os sentidos. Bartlet for América, 3×09, é um marco no quesito textualização de um personagem. The Woman of Qumar, 3×07, entrega uma das melhores atuações de uma das melhores atrizes de todos os tempos: Allison Janney, quatro vezes vencedora do Emmy pelo seu papel de Secretária de Imprensa.

A série então soube desenvolver temas já esperados: doença x conseqüências, opinião pública x doença e o mais importante, Bartlet x reeleição. Na segunda metade da temporada o ritmo cai consideravelmente quando a omissão do presidente sobre sua saúde é superada mudando o foco da série. Ai nesse momento a campanha presidencial fica em evidência. Mas é nesta segunda metade da temporada que a série toma sua atitude mais ousada em sua história, até o momento: encomendar o assassinato de um terrorista do alto escalão do governo de Qumar, um pequeno país do Oriente Médio. Qualquer semelhança com o mundo real não é mera coincidência. A terceira temporada então termina, mais uma vez, com um disparo de uma arma ao som de ‘Halleluiah’. Foi emocionante.

Depois de um terceiro ano apenas bom, a série entrou em seu estado mais puro em seu quarto ano. A campanha presidencial chega ao seu final. Os votos são contados. E Bartlet inicia seu ambicioso segundo, e último, mandato à frente da Casa Branca.

Eu resisti muito em acompanhar The West Wing justamente por achar que seria um dramalhão político. Errado! Política muitas vezes é imposta de modo claro, sem fazer você se cansar e sempre alternando entre real e ficção. O drama de personagens também ganha um destaque obvio, afinal The West Wing também é uma série de relacionamentos mesmo que não demonstre explicitamente. Não tem como não se vislumbrar. O que sempre me encantou em The West Wing estava ali – competentes atuações, diálogos inteligentes, suas referências e auto-referências. A grande verdade é que nós brasileiros (e muitos americanos também) não temos a mínima de noção de como as coisas realmente funcionam.

Por exemplo, se o governo quer aprovar uma lei, mas é minoria no Senado, entra em ação Josh Lyman (Bradley Whitford) e tenta reverter, de todas as formas, fazendo com que o governo se torne majoritário no bancada dos Senadores. Mas como ele faz isso? É aí que entra o texto genial de Aaron Sorkin. Às vezes ‘comprar’ um senador pode sair bem mais caro que a simples publicidade da aprovação de uma lei. Claro que tem casos que a aprovação é de plena necessidade mesmo, tanto que a série já exibiu os dois lados da moeda. Mas todo o jogo psicológico, dramático e a verossemelhança da obra é simplesmente espetacular.

The West Wing é imprescindível. Uma das características mais marcantes da série é o uso de flashbacks para ilustrar momentos chaves para os personagens brilharem (não! não foi Lost que o inventou. Apenas se popularizou nas mãos da sci-fi.), como: a formação da equipe que, mais tarde, ocuparia a casa branca (lembrando que a série já começa com o presidente eleito), o exato momento onde Leo (John Spencer) convence o até então governador Bartlet (Martin Sheen) a concorrer a presidência, Josh (Bradley Whitford) tendo que confrontar seus sentimentos perante a um psiquiatra e assumindo que traumas são complicados de se esquecer e por fim, vemos o caráter de Bartlet ser moldado, bem de leve, pela Sra. Landingham, ainda jovens. Quatro exemplos dentre dezenas.

Os personagens de Sorkin são irresistíveis. São os mais bem construídos e interpretados que eu puder ter a chance de ver. É a junção mais que perfeita de um texto genial e atores excepcionais.

***

Ao longo da semana ainda tem 24 Horas e Boston Legal.

Anúncios

16 comentários sobre “4 Semanas, 3 Séries – The West Wing

  1. Assisti West Wing espaçadamente sem seguir a sequência de episódios, mas todas vezes q assisti fiquei impressionado. O Sorkin é genial e mostrou isso de novo em Studio 60.

    Allison Janney e Bradley Whitford são dois dos meus atores favoritos

    Está na minha de lista de DVDs pra acompanhar. E que Will&Grace e Grey’s Anatomy passam na frente.

  2. Olá Eric. Seja “bem-vindo” de volta. ehhehe

    Ótimo texto. The West Wing é sensacional mesmo. Estou esperando desesperadamente a temporada 7. E até agora nada da Warner não noticia o lançamento.

    Preciso acabar de ver a série (apesar de que a qualidade das temporadas finais não são tão superiores quanto as primeiras).
    Minhas preferidas são a 2 e 4.

    Valeu, abração.

      1. Oi, li que tem a 7 temporada de West Wing para vender. Como posso comprá-la?
        Aguardo seu retorno

        Um abraço

        Patrícia Carvalho

  3. Eric, parabéns pelo texto.
    Particularmente eu acho The West Wing bem cansativa, não consegui assistir um episódio inteiro. Não sei por que, mas não gosto de Martin Sheen. Acho que ele passa um ar de arrogante, seja qual for a personagem que interpreta, no cinema ou na televisão.
    Mas você falou tão bem da série e também ela foi muito bem aclamada pela crítica, que vou pegar a primeira temporada para assistir, assim que eu tiver tempo, pois agora estou ocupado com Brothers and Sisters

    Um abraço.

  4. Ricardo, a Allison Janney e Bradley Whitford também são meus atores favoritos. Gostava muito do Rob Lowe , mas infelizmente ele abandonou a série na 4ª temporada por questões salariais.. :(

    Sergio, nem me fale. Não sei o porque que a Warner está segurando o lançamento última temporada. É sacanagem. Pelo visto terei que baixar… E minhas preferidas até agora são a 2°, 4°, 1° e 3°, nesta sequência.

    Mantovanid, eu já achava a série cansativa mesmo sem assistir sequer 1 episódio. Mas cara, vi que era bobeira minha. A série é deliciosa de acompanhar. Dê mais uma chance para ela. E o presidente do Martin Sheen é o mais legal da história da TV, cinema, etc. Não tem como não gostar dele. O ar de arrogância que ele possa transmitir aqui é por causa do personagem. Mas sinceramente nunca cheguei a pensar nisto.

  5. Engraçado, não gostei tanto da quarta temporada como das anteriores. Acho que o problema foi a série ter tido o seu ponto mais alto na segunda temporada, que terminou com o maravilhoso Two Cathedrals. Desde aí, tenho tido alguma dificuldade em encontrar algo de tão espectacular na série. Mas não desisto, porque The West Wing é uma série excelente, que entrou directamente para o Hall of Fame de séries. :)
    Tenho de começar a quinta temporada um dia destes!

  6. Aguardo ansiosamente o lançamento da 7ª temporada de The West Wing. Tenho todas as 6 e gostaria de completar minha coleção. A série é muito inteligente e toda minha familia assistiu. Gostamos de revê-la de tempos em tempos.
    Alguém poderia me informar se a Warner do Brasil vai lançar a 7ª temporada?
    Será que vale a pena comprar importado? Será que tem legendas em Português?

  7. Já escutei falar muito bem dessa série já pensei até em comprar os dvds originais mas por enquanto que a 7ª temporada não for lançada aguardarei,vai que não seja lançada ela, e eu ter que ficar sem ver o final da série, e ao que tudo indica não será çançada pois já tem mais de um ano e nada.Só,Tchau!

  8. Estou interessada em comprar a 7 temporada. Tenho todas as outras e esta foi espetacular. Como todos as demais.
    Aguardo seu retorno sobre como fazer a compra
    Um abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s