Breaking Bad – 1×01: Piloto

Mesmo lendo notícias sobre séries e discutindo episódios, não tinha ouvido falar muito de Breaking Bad até o Sony anunciar a estréia para logo depois de Eli Stone.

E já que essa última tinha sido uma total decepção para mim, eu estava esperançoso com a nova série do AMC.

E no geral não há como dizer que a série sobre o professor de química frustrado tenha sido frustrante, apenas dividiu minhas opiniões.

Walter White tem uma esposa dedicada, um filho deficiente e além de lecionar para jovens a matéria super divertida que é química (sim, foi irônico) ele ainda divide seu tempo como funcionário de um lava-rápido. Uma vida difícil, comum, mas que ele vai levando.

Porém tudo muda logo após seu aniversário de cinquenta anos, quando Walter é diagnósticado com um cancêr terminal, e começa a surtar. E o que um professor de química pode fazer com seu talento que seja ilegal, emocionante e dê dinheiro sem envolver adolescentes desrespeitosos?

Fábricar drogas!

Nota-se que a premissa não é tão inovadora, o tema de homem de meia idade surtando já foi recorrente em várias séries, como por exemplo em Nip Tuck, e a história de vender drogas traz Weeds imediatamente à cabeça.

Apesar das semelhanças com a série de Nancy Botwin, Breaking Bad segue em outra direção, algo menos divertido e suburbano e mais desastroso, empoeirado e sem calças, e para isso acerta em cheio no talentosíssimo Bryan Cranston, mais conhecido como o Hal de Malcom in the middle.

Cranston carrega o piloto nas costas em alguns momentos, e é indiscutível que com alguém menos talentoso na liderança do elenco, a série talvez nem fosse notada. No entanto, se ele está perfeito no papel, não pode-se dizer o mesmo dos outros personagens. Não que eu esteja criticando o desempenho deles, já que para isso eles ao menos teriam que aparecer mais de cinco minutos em cena, mas não ter personagens secundários atraentes pode ser um problema futuramente.

E aí surge minha maior dúvida: será que a série tem fôlego para mais de uma temporada? Apesar da edição primorosa, o desenrolar da história nesse piloto ainda não deu pistas de que rumo a trama pode tomar, mas ainda é cedo para se falar nisso, ainda mais tendo assistido apenas um episódio.

Resumindo, prestar atenção nesses defeitos é procurar cabelo em ovo, ainda mais nessa época de vacas magras e de toneladas semanais de American Idol , o negócio é relaxar e ver o moço perder cada vez mais a sanidade, e com uma programação cada vez mais boba do canal do Pi, a série surge como um sopre de ar fresco.

Ah, e se o Bryan ficar desfilando de cueca em cada santo episódio daqui pra frente vai ser difícil, seriously.

Anúncios

12 comentários sobre “Breaking Bad – 1×01: Piloto

  1. Gostei mto da série. Curto séries americanas que vão alem de lindos suburbios ou apartamentos descolados em metropoles. Apesar de meio previsivel o charme da série não está no que mostra, mas como ela mostra. Edição impecavel, cinematografica.

    Breaking Bad veio com um sopro de bom gosto num canal cada dia mais pobre q é o Sony.

  2. É Vince Gilligan mostrou que não entende só de sobrenatural. Um ótimo roteirista e diretor, e… meu episódio preferido dessa temporada é justamente o episódio piloto.

  3. 50/50 pro piloto. Não morri de amores porque lembrou Weeds. Aqui, pelo menos, os motivos de Walter parecem ser mais nobres ou mais desesperados.

    Vou ver o 2o. episódio. Mas tá parecendo “Fargo do deserto”.

    Não me identifiquei com o personagem principal. E olha que a minha vidinha tá longe de ser espetacular. Talvez quando bater os 50 algo me aconteça.

    E entre câncer terminal e aneurisma (Eli Stone), tô preferindo esse último, que alivia a trama com um texto legal e umas bobagens, mas ainda assim emociona. O peso é o mesmo. É só uma escolha de estilo.

    Walter é “a vida como ela é”. E neste momento em frente à tela prefiro a diversão.

  4. Apartir do segundo episódio tudo piora. Tô falando sério, a série vai ficar com um clima desesperador, não irá ter mais nenhuma cena de comédia, ela será completamente DARK.

    Eu parei de assistir “Breaking Bad” no quarto episódio, não agüentava mais a história não se desenrolar.

    Ah… Eu gostei da Anna Gunn no primeiro episódio, você não? Achei ela muito boa.

  5. Série sem uma pitada de comédia/humor, é flórida de aturar. E Breaking Bad cai nessa a partir do segundo episodio. Dispensável.

  6. Terminei ontem de ver a temporada de Breaking Bad. Gostei muito, mas não se assustem com os próximos episódios. A trama não avança muito, só nos últimos dois ou três. Mas é um drama de qualidade, até meio deprê em certas partes.

  7. Achei mais ou menos também.

    Eu só não acho o Pi ruim. Já foi pior (Balls of Steel, Boondocks e Ali G era para matar qualquer um), mas agora de ruim só os programas do Bush, pq 30 Rock e The Daily Show são ótimas, e Sarah Silverman e Scrubs muito boas!

  8. Sinceramente?? gostei vai!!!!, td bem lembra Weeds e tals,mais é algo mais sofisticado o “bagulho” do cara sacou!!Esse piloto foi muito bom,espero eu que mantenha essa linha até o fim!!

  9. Achei a série boa, tudo bem que a vida como ela é não é um tema em alta, mas também nunca esteve em baixa, em meio a tantas séries que só mostram um rosto bonito, umas piadas forçadas e um cenário imaginavel, bb se destaca, a trama não se desenvolve legal, fica preso entre o 3ª e o 5ª capitulo, mas depois disso flui legal. Normal para toda série que não seja de comédia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s