American Idol – 7×41: Top 2

Por Lucas Carvalho

De um lado do ringue, de Blue Springs, Missouri, está ele, o arauto do Rock N’ Idol, David “Sugarpoof” Cook! Do outro lado, de Murray, Utah, é o pequeno dínamo da música pop, David “Babyface” Archuleta!

Estão prontos para esse episódio de American Idol?

Sim! Eu, Lucas Carvalho, estou de volta com as reviews mais badaladas do Série Maníacos. Agradeço, nesse momento inicial, ao Victor por todos os comentários durante o Top 12, imprescindíveis pra que chegássemos a esse ponto da temporada. Dos milhares de hopefuls, temos apenas dois. E dois Davids!

Todo o clima de luta de boxe foi bem interessante. Deu o tom do programa, além de me fazer lembrar bastante da batalha épica entre o Ruben Studdard e o Clay Aiken na segunda temporada. Três performances, três oportunidades para impressionar o público norte-americano. Destaque para o desconhecidíssimo tutor dos dois candidatos, Andrew Lloyd Webber.

Vamos às apresentações, uma a uma.

1º ROUND: CLIVE DAVIS SONG CHOICE

David Cook: “I Still Haven’t Found What I’m Looking For” – U2

A voz do Cook caiu como uma luva nessa música. Alguns fãs mais ardorosos do Bono poderiam dizer que a ausência do seu tom lívido de voz em qualquer das músicas do U2 é motivo para um novo “Sunday Bloody Sunday” (Não a música, e sim o massacre). No entanto, a versão do David Cook ficou bonita e, o que é mais importante, vendável. Esse é o aspecto crucial das escolhas aparentemente sem noção do Clive Davis. Gostei da banda atrás, das luzes durante a apresentação e até mesmo descontei as esporádicas desafinações e semitonadas que aconteceram – muito em decorrência da subida no final.

Há uma diferença substancial entre essa música e pelo menos 95% das músicas cantadas nessa temporada. Essa, ao contrário das demais, é um hino. Muitas pessoas devem ter cometido suicídio ouvindo a melodia, outras choraram, milhões e milhões deram o primeiro beijo enquanto ouviam.

David Archuleta: “Don’t Let The Sun Go Down On Me” – Elton John & Bernie Taupin

Eu sei, você está pensando: “Quem é Bernie Taupin?”. Pois é, esse é o cara responsável pela letra… Vai fazer o quê?

Em todo caso, não é a primeira vez que o Clive escolhe essa música para um finalista do Idol (Lembram do Bo na quarta temporada? Isso sem contar o Clay, que eternizou a música desde antes do Top 12 da segundona). Para o Archuleta, não havia escolha mais razoável. Uma música também memorável, muito bonita e com aquele toque delicado presente nas canções geralmente escolhidas pelo Archuleta (Ou pelo seu pai).

O Archuleta desconsiderou os conselhos do instrutor de boxe e mandou ver já na primeira apresentação. Foi belíssimo! Com destaque para a arrancada de “blinded by the light”. Muito bonito mesmo.

2º ROUND: NEW SONG CONTESTANT CHOICE

David Cook: “Dream Big” – Emily Shackelton

Esse Round foi o menos animador pra mim. A não ser que você tenha toneladas e toneladas de musicalidade (O que um em cada um bilhão de pessoas tem), não se arrisque a compor uma música sem a tecnologia de um estúdio para testar suas idéias e incrementar seus arranjos. A melodia como um todo ficou um tanto quanto bubblegum-ish. Meio repetida, meio naquela zona de “já-ouvimos-antes”.

Com “Dream Big”, o David Cook fez um trabalho meramente razoável, mas a culpa foi da música, e não dele. O Cook usou a voz como pôde, cantou o máximo que podia, mas a música não era nada se comparada a grandes sucessos do Rock, gênero em que ele se sente mais confortável.

E sim, a voz do Cook começou a mostrar sinais de cansaço nessa música, como bem apontaram os jurados.

David Archuleta: “In This Moment” – Ryan Gillmor
Se pelo menos fosse o “In This Moment” da Half Past Forever Band do Chris Sligh… Mas não. A música, como a do Cook, foi um tanto quanto insossa. Mais um dos clássicos singles do American Idol que passam aquela sensação de “eu-consegui-portanto-olhem-para-mim-enquanto-eu-canto-com-os-braços-estendidos-pro-alto”.Estranhíssima a letra meio narcisista. Nessa música o Archuleta também fez o que pôde, mas ainda assim não deu. E o pior é que essa música até que ficaria bem num outro contexto, com outro arranjo, até com outro intérprete. Mas não, não, não. Essa do American Idol de pedir pras pessoas mandarem músicas pros finalistas… Continua sendo uma idéia terrível.

E o Randy com essa de o David cantar o phonebook. Sim, compreendemos. ¬¬

3º ROUND: CONTESTANT SONG CHOICE

David Cook: “The World I Know” – Collective Soul

O Cook cantou essa com o coração. Foi bem tranqüilo, bem contido e bem profissional. O que não combina com a final do American Idol, é importante deixar claro.

A música ficou com uma cara horrível de “Canadian Idol”. Aquela coisa meio sem alma, sem intensidade, sem força. Mesmo que a música tivesse esse apelo mais romântico, menos impactante… Ainda assim não foi uma boa escolha. Pensem bem: o cara se firma como roqueiro, se mantém como roqueiro e, na última chance que tem de impressionar o público, canta uma música lenta com notas em falsete? ¬¬

Na última chance que teve de mostrar a que veio, o David Cook não impressionou muito. A música é bonita, mas nada que se compare a milhares de outras que teriam levado o público inteiro (Simon incluso) a aplaudir de pé.

David Archuleta: “Imagine” – John Lennon

É, o David já cantou essa música.

Na vez passada, a apresentação foi melhor. As desafinações da primeira vez em que ele apresentou essa música não foram tão aparentes e podemos atribuir os deslizes à tensão extrema do momento, o que é bastante inteligível.

Não é preciso destacar que “Imagine” já era o carro-chefe do David Archuleta antes do American Idol. Ou seja, experiência em cantar a música do Lennon, o rapaz tem de sobra. O que ficou um pouco estranho foi o excesso de subidas e descidas meio fora de lugar. Mas sim… A apresentação foi muito bonita e garantiu ao Archuleta um empurrão considerável na votação final.

E foi esse o episódio. A sétima temporada está chegando ao fim e, como fizeram nos anos anteriores, os produtores do Idol convidaram para cantar a música de despedida dos competidores o artista que a canta originalmente. Nesse viés, Ruben Studdard tomou o palco.

Depois de tantos anos, ainda fantástico. Embora a música não seja nada boa. Mas o Ruben é um show a parte.

E nos veremos após a finale, meus caros! Quem vai vencer? Será o Cook ou o Archuleta? :)

Anúncios

8 comentários sobre “American Idol – 7×41: Top 2

  1. Não concordo que o público mandar musicas pros finalistas seja algo terrível. Repare que “Time Of My Life” de David Cook já está bem colocada na Billboard.

  2. Ah, Alessandro… Ainda mantenho minha posição. “Time of My Life” foi escolhida como “Winner’s Single” porque “Dream Big” não podia atender às exigências dos fãs do Cook. Ainda assim, é outra daquelas músicas de “eu-consegui-vencer”, bem típicas do Idol.

    E, bem a par da verdade, o índice das vendas na Billboard é pouco significativo para as músicas que acabaram de sair do Idol. Muito disso é decorrente da popularidade do programa, do vencedor… E não tanto em conseqüência da qualidade da música.

    Quero deixar claro que “Time of my Life”, na voz do Cook, ficou muito bonita. Mas é justamente a exceção à regra – em geral, a abertura que o Idol dá para pessoas mandarem suas composições resulta em singles como “This is my now”. ¬¬

    Se bem que até mesmo a produção avançadíssima dos estúdios da Sony BMG só conseguiu produzir “Inside Your Heaven” e as músicas dos finalistas da Season 5, então… Ficam elas por elas. :/

  3. Concordo com o Simon, Archuleta venceu por NOCAUTE. Ele desafinou em Imagine? What? Discordo totalmente

    Cook foi razoavel e isso não basta, não importa o q pensem os telespectadores americanos. Ainda acho q o Randy tem razão, o negócio do Cook é ser frontman em uma banda. Sozinho não dá

    Victor, vc pegou bode mesmo dessa edição.

  4. Eu amei os dois Davids. Digo sem titubear: os dois eram sem dúvida os melhores participantes dessa edição e mereceram estar na final.
    Gostei da apresentação deles (apesar de admitir que perdi parte das músicas do Cook) e digo sem vergonha: eu torci para o Archuleta do início ao fim desse AI. Eu queria muito mesmo que ele vencesse, apesar de eu saber que o candidato mais ‘ídolo’ era o Cook. No final das contas, qualquer um dos dois que vencesse me deixaria feliz.

    Agora, desse programa eu gostei, o que eu achei horrível foi a final com todos os participantes. A única coisa que prestou na final foram os Davids.

    Btw, eu só tinha lido review do Victor Regis. Foi estranho ler o review de outra pessoa, com outro estilo bem na final do programa, hehehe.

  5. Humm, sabe que vao lançar um livro sobre os bastidores do Archuleta no AI, entao fikei sabendo que na escolha dele por Imagine, ele nao canta as primeiras estrofes que continham as palavras No hell, no heaven e No religion, pq nao se sentia bem, por ser mto religioso…bem keria saber o que ele faria se pedissem pra gravar essa musica no seu futuro CD…nao sei se ele quer ser um American Idol, ou cantor Gospel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s