Psych – 2×10: Gus’ Dad May Have Killed an Old Guy

psychs02e10hdtvxvid-fqmavi_000205830.jpg

É Natal em Psych. Após um hiato de quase três meses, no início do mês foi exibido um episódio especial de natal que serviu de aquecimento para volta da série, que acontecerá em janeiro. Psych é uma série bacana, despretensiosa e que te faz dar risada, muita risada. Um dos grandes acertos da série é se empenhar em te fazer dar risada a todo custo, mesmo que coloque seus protagonistas em situações ridículas ou embaraçosas. Mas que funciona devido à química absurda de seus dois protagonistas. A relação deles é tão real que realmente parece que são amigos desde crianças, digo, pequenos, pois crianças eles ainda são. Arrisco dizer que os dois possuem a melhor sintonia da TV atualmente.

Spoilers Abaixo:

Continuar lendo Psych – 2×10: Gus’ Dad May Have Killed an Old Guy

Anúncios

Balanço da Mid-Season

Hoje, com a entrega dos prêmios Emmy, termina oficialmente a mid-season 2007. É nesse período que as emissoras gostam de apresentar algumas novidades ou estrearem novas temporadas, justamente para fugir da concorrência do forte prime time na época de estréias. Esse ano o saldo até que foi positivo.

Descobri ótimas novas séries como Burn Notice, Californication e Mad Men. Algumas regulares, Damages, Side Order of Live e Saving Grace. Já outras sem condições de assistir, Flash Gordon, Greek, State of Mind, Painkiller Jane.

Burn Notice it’s cool. Sim, essa foi a maior surpresa da mid-season este ano. Californication? Esqueça! Jeffrey Donovan é Michael Westen, um espião que, no meio de uma missão na África, recebi a notícia que foi demitido (daí o nome da série). Ele então volta para sua terra natal, Miami, e até descobrir quem o demitiu realizada trabalhos investigativos para gerar uma renda, já que sua conta bancária está bloqueada devido à demissão. O carisma de Donovan é incontestável e é isso que faz a série crescer. Os roteiristas abusam dos textos cômicos para o personagem, que o ator faz muito bem, e aliada à paradisíaca Miami, o resultado não poderia ser menos que bom. Além de ser muito bacana ver como um espião trabalha. Ao lado da ex-namorada Fiona e do fiel escudeiro Sam, o trio consegue dar uma outra perspectiva a Burn Notice e a série torna mais interessante a cada capítulo.

Geralmente é nessa época que consigo ver tudo que deixei de acompanhar na fall season e recuperar o tempo pedido. How I Met Your Mother, 30 Rock, Ugly Betty, Nip/Tuck Supernatural e My Name is Earl foram as series que, enfim, consegui chegar à exibição americana antes de a nova temporada começar.

Novas temporadas de outras séries também estrearam e eu destaco duas: Entourage e Psych.

Entourage fez uma 4ª temporada impecável. A season premiere filmada e editada imitando um documentário foi além de qualquer expectativa. Fugiu dos padrões da série e o resultado não poderia ser menos que genial. Jeremy Piven e Kevin Dillon foram os grandes nomes deste quarto ano que encerrou em grande estilo com o episódio “The Cannes Kids”, gravado em Cannes, importante festival de cinema francês. Renovada para uma quinta temporada, que estréia em Junho/2008, veremos se Medellin conseguirá uma distribuidora e como será recebido pelo publico, já que não teve uma recepção calorosa no festival.

Psych começou fervendo. “American Duos” foi um os episódios mais engraçados de toda a série. Shawn e Gus tiverem que investigar a morte de um jurado de um reality show musical, uma clara paródia do hit “American Idol”. Mas eles acabam se tornando participantes da competição para investigar o caso e no fim do episódio, além de solucionarem ele, fazem uma apresentação musical de outro mundo. É hilária! Com o passar dos episódios a série vai mantendo uma regularizada de bons episódios. Psych não tem a pretensão de ser a melhor comédia em exibição. Só quer nos fazer dar risadas e ponto. Palmas para eles, pois fazem muito bem.

Melhores séries até o momento:

  • Entourage
  • Burn Notice
  • Psych
  • Weeds
  • Californication
  • Oba, Oba

    Segundo a Variety, a USA renovou Psych para uma terceira temporada com dezesseis episódios. Isso mesmo! Dezesseis novos episódios. Lembrando que a primeira teve quinze e a segunda, que estréia dia 23/09 ás 19h no Universal Channel, (e terminou na última sexta-feira nos EUA e o episódio é considerado um dos melhores da série) teve apenas nove. Na entrevista, o diretor de programação do canal Jeff Wachtel afirmou:

    “The series has been a critical and ratings sensation since it premiered last summer and continues to gain new viewers and grow its fan-base.”

    Nós agradecemos!

    Blog de cara nova!

    Olá, Olá. Agora sim nosso blog está ajeitado. Esse novo layout ficou demais. Nada disso teria acontecido sem a ajuda do Bruno Carvalho, que realizou todo o processo. Obrigado, mesmo.Eu andava meio sumido do blog pela falta de tempo e por compromissos com outros trabalhos. Mas meu brother Anderson Vidoni fez o dever de casa e tentou deixa-lo atualizado na medida do possível. E fez um ótimo trabalho. Agora vamos tentar atualiza-lo diariamente com as novidades do mundo dos maravilhosos seriados de TV.

    Abaixo um, dos vários, vídeos promocionais da segunda parte da temporada de estréia de “Psych“. É muito, muito engraçado. A série voltou do hiato dia 19/01 nos EUA para a exibição dos sete episódios restantes. No Brasil a Universal Channel já exibirá a nova fornada de episódios já Fevereiro, menos de um mês da estréia lá fora, o que é raríssimo de acontecer por aqui. Em breve estarei comentando seu retorno.

    Psych

    Nessas últimas semanas não vi uma linha sequer de alguém falando da série, muitas séries sendo canceladas, outras tendo a temporada completa, séries estreando por aqui… Enfim, como eu acho que a série merecia mais espaço, resolvi eu mesmo dar.

     

    No penúltimo episódio do ano da série, vemos pela primeira vez pegarem um verdadeiro caso sobrenatural. Shawn não acredita no caso do cara, enquanto que Gus fica bem curioso com o caso, por uma experiência que passou no passado, envolvendo um cemitério indígena.

    Temos também um misterioso assassinato de um psicólogo. Caso que se interliga de maneira bem interessante com o caso sobrenatural.

    Curioso pelo surpreendente interesse de Gus, Shawn descobre que ele ouviu uma voz de uma mulher no seu quarto, quando criança, contando uma história de um cemitério indígena. Gus diz que quando perguntou seu nome, ela disse:

    “Meu nome…” daí Shawn interrompe e completa:

    “Meu nome é Wilting Flower, eu morri sem conhecer o amor, você vai ser meu amigo”?

    Muito engraçada essa parte, Gus fica meio bravo por descobrir que foi apenas uma brincadeira de seu amigo, mas já deve estar acostumado.

    A sim, sobre o caso, descobrimos que o cara que pensa estar sendo assombrado, na verdade tem dupla identidade, com a segunda sendo uma “mulher”, ela está querendo se tornar uma de verdade, quer fazer uma operação para mudança de sexo. Ela se consultava com o psicólogo do outro crime, que a estava encaminhando para a operação.

    Com uma personalidade passiva e a outra querendo mudar de sexo, surge outra personalidade, está nova mata o psicólogo para não ter que fazer a operação. Mas a “mulher” dentro dele da um jeito de marcar a cirurgia. Shawn descobre a tempo de poder fazer das sua revelações e consegue ajudar a policia a resolver o crime.

    A série continua ótima e a química entre James Roday e Dulé Hill, está ficando cada vez melhor. Semana que vem teremos o último episódio do ano, Shawn vs. O Fantasma Vermelho. Pra mim o melhor episódio da série, onde vamos conhecer o Magichead