Criadores de Smallville abandonam a série

smallville-season7.jpg

O TvGuide comunicou que criadores Al Gough e Miles Millar acabam de anunciar em uma carta para a imprensa que a sétima e atual temporada de Smallville será o último contato deles com a série.

“Depois de sete maravilhosos anos e 152 episódios, os produtores executivos olham para trás sabendo que continuaram com a oitava temporada sem nós. Depois de muito desgosto e discussão, nós decidimos que está na hora se seguirmos em frente.”

Na carta eles ainda agradecem a lealdade dos fãs por terem feito de Smallville a série baseada em quadrinhos com mais longevidade na história da tv, por ser o programa de maior audiência da CW (não contando os realitys) e também agradecem ao elenco e a equipe de produção.

O motivo dessa saída inesperada não é claro e depois da declaração do próprio Michael Rosenbaum (Lex) de que não vai voltar para a oitava temporada e a incerteza de Kristin Kreuk (Lana) fica cada vez mais claro que essa oitava temporada tem tudo para ser uma bela de uma bomba.

Smallville sem Lex Luthor?

smallville_michael_rosenbaum_300wide.jpg

Nas palavras do próprio Lex Luthor é o que parece. SmallVille está programado para acabar na oitava temporada, porém rumores já circulam na Internet à algum tempo, de que o ator Michael Rosenbaum pretende abandonar a série no final da sétima temporada (que é a temporada atual) assim que seu contrato vencer.

O que era boato acaba de ganhar força nesse vídeo que mostra Michael no festival Sundance recebendo as famosas cestas de presentes caríssimas que os artistas de Hollywood ganham de graça e no finalzinho do vídeo ele diz: “Assistam SmallVille. Por apenas mais alguns meses porque depois eu estou fora”.

Uma temporada inteira sobre a vida do jovem Superman sem Lex Luthor é meio difícil de imaginar.

Clique aqui para ver o vídeo.

Pequenas "Férias" + Comentários da "Semana do Climax"

Galera, só passei para avisar que o blog não será atualizado por mim até sábado. Estarei trocando de computador e nesse período estarei tirando umas “férias” do pc!

Quando a situação estiver normalizada, postarei um texto bem bacana sobre a 2ª temporada de Entourage, que estou devendo para vocês á tempos.

Já que estou sem computador essa semana, consegui ver algumas coisas da “Semana do Climax” da Warner. Ai vão elas:

Close to Home: Final digno para toda a trajetória da série. Sua segunda temporada veio muito modificada, mas com o tempo encontrou sua fórmula e terminou de maneira bastante agradável. Fará muita falta.

Without a Trace: Essa é uma série que sempre me chamou a atenção, mas por motivos inexplicáveis nunca consegui acompanhar regularmente. Ao longo desses cinco temporadas não vi muita coisa, mas esse episódio final foi muito, muito bom. A ótima atuação do LaPaglia, o roteiro se desenrolando de maneira incrível e o cliffhanger da garçonete sendo seqüestrada foi o que faltava para colocar Without a Trace na minha lista de séries imperdíveis para a fall season.

-The New Adventures Of Old Christine: Esperava mais do episódio já que se tratava de uma finale, mas até que gostei. O talento incontestável de Julia Louis-Dreyfus contribuiu. O cliffhanger dela na escola foi engraçadinho, nada demais. Agora só resta esperar até setembro para vermos o desenrolar dessa história.

Two and a Half Men: Hilário! Hilário! Hilário! Não possuem muitas sitcoms atualmente, mas as poucas que restaram tem um nível de qualidade regular. No episódio final de Two and a Half Men acompanhamos Charlie e Alan criarem uma relação mais próxima com o novo namorado de sua mãe, Teddy. Este por sinal, é uma versão mais velha e amadurecida de Charlie. O fato de o episódio ser tão engraçado é que eles partiram de uma premissa tão simples e, conseguiram resultados magníficos graças ao seu elenco. Um excelente episódio e encerrou de maneira maravilhosa essa quarta temporada.

-Smallville
: Até hoje eu assisti a apenas seis episódios da Smallville. Sempre me arrependi de nunca tê-la acompanhada desde o inicio. Mas depois de ver essa season finale, não me arrependo mais. Ô episódio ruim. Aquela “morte” da Chloe foi à coisa mais ridícula que já vi em toda minha vida. Não sabia que ela também tinha um “poder especial”. Vou passar longe dessa série.

***

-On the Lot: Perdi a primeira hora do especial de 2 horas, pois estava assistindo a finale de Smallville. Mas só de ver o curta-metragem do mago dos efeitos especiais, Zach, já valeu a pena. Nem lembrava mais que tinha perdido o inicio do programa. O cara é muito bom e merece ganhar o prêmio! Dêem uma olhada no trabalho do cara:

 

Abaixo os erros de gravações da 2ª temporada de Grey’s Anatomy. É muito bacana.

 

Smallville e Supernatural (Season Finale) – Spoilers

Smallville

  • Acabou a temporada como passou ela, não muito bem. O episódio teve algumas coisas irritantes, mas ta certo, o final foi bem legal. O Fantasma se transformando no Clark foi bem interessante, assim como a luta entre os dois.
  • A Lana é uma das coisas mais chatas já feitas por qualquer tipo de mídia, quando ela se junta ao Clark, o que era ruim fica ruim³³³³³
  • E quando finalmente as nossas preces são atendidas, acontece uma das mortes mais fakes da história. Só espero que tentem criar uma expectativa e ela demore alguns episódios para ressurgir.
  • Michael Rosembaum e John Glover, são duas das 3 melhores coisas da série. Fato.
  • Mas a melhor é a Chloe, que infelizmente também morre, mas aqui parece ser pra valer. Mas espero que esse pessoal que faz a série pense em algo para ela estar vivinha e no primeiro episódio. Eu nem preciso de uma explicação razoável, se aparecer como se nada tivesse acontecido, vou adorar.
  • Meu deus, será que só eu to achando a Louis uma das coisas mais irritantes e burras da série?

Como a esperança é a última que morre, continuarei vendo a série na próxima temporada. Mas se a minha amada Allison Mack tiver ido dessa pra melhor na série, bye bye.

Supernatural

  • Season finale maravilhosa, com direito a papai Winchester e tudo, direto do inferno.
  • Temporada irrepreensível, melhor que a primeira e que cresceu ao longo e terminou no auge.
  • Um episódio que abre as portas do inferno, quer coisa melhor do que isso.
  • E eu também adorei toda aquela história das rodovias interligadas em igrejas, que se cruzavam e formavam um gigantesco pentagrama que protegia os portões do inferno e impediam os demônios de entrar lá e abrir. Já virei fã do tal do Colt.
  • O acordo do Dean pra salvar o irmão foi bem interessante e deixa uma expectativa para a próxima temporada, só mais um ano de vida. Quero ver como vão lidar com isso mais pra frente.
  • Quer cliffhanger melhor que centenas de demônios e criaturas passando pelos portões do inferno (advinhou, to adorando repetir isso), agora livres e espeando para serem mortos ou seja lá o que aconteça com eles, pelos irmãos?
  • Supernatural domina como poucas a capacidade de não se levar a sério e nessa temporada atingiu o auge em dois de seus episódios: Tall Tales (Meu preferido da série) e Hollywood Babylon.
  • Quer coisa mais foda do que abrir o episódio final da temporada ao som de: Kansas – Carry On My Wayward Son.

Que venham mais demônios e mais zuação com eles próprios na próxima temporada e mais Rock de qualidade também.